3.1.09

A comédia do ano (e hoje ainda são três de Janeiro)

O melhor programa de televisão do ano está a passar agora na RTP-1. Se acham que é exagero "bros", liguem urgentemente a televisão  e preparem-se para assistir a uma coisa deliciosamente inenarrável de nome Hip-Hop Pobreza Stop.

Um festival de novos talentos na área do Hip-Hop, "Frends" - assim mesmo, mas com sotaque do Porto -, que consegue a proeza de não mostrar nenhum (novo talento).

As 12 bandas seleccionadas para a suposta final têm uma "cena" em comum: deviam dedicar-se a outra merda qualquer que não a música, "Yo".

Deixo uma sugestão aos "manos" a concurso:

- "ide" assaltar bombas de gasolina. Terão mais hipóteses de sobreviver. Mesmo com a GNR, a PSP e a Manuela Moura Guedes à perna! Valeu, "bros"? 

À sonata desafinada dos "manos" juntaram-se um padre com a língua sempre de fora e de boné "graffitado" com a inscrição "Padre Mário" - esqueceram-se do "Yo" - e a Catarina Furtado, tão desenquadrada como um pinguim em Copacabana. E foi a receita para o desastre mais divertido dos últimos tempos. É caso para dizer que nunca a assinatura saia da rotina, entre na RTP, fez tanto sentido!

A comédia repete no dia 11 de Janeiro, às 21:15, na RTP-i. Imperdível.

3 comentários:

Su disse...

opssssssssssssss

e repete.seeeeeeeeeeeee?????


enfim ....bem diz o sancho....
a loucura continua............~


jocas maradas

il _messaggero disse...

Aparte a ironia com que foi redigido o post (e gostos não se discutem), eu até acho uma iniciativa interessante.
A integração social decorrente deste género de iniciativas não é um capital a desperdiçar.

Ao menos têm o condão de tentar incutir e integrar, através de um género/cultura que esses jovens apreciam, certas premissas que poderão ser úteis no futuro. E olhando que o hip hop tem uma forte componente reivindicativa e interventiva (não estou a falar obviamente daquele gangsta hip hop de cariz MTV onde a ostentação excessiva prevalece), não é de descurar o "empowerment" cívico que daí advém.

Em Cova da Moura, isso é muito bem feito, com Chullage a dar apoio a jovens artistas do bairro. Aliás, se não estou em erro, a iniciativa aparece em parte devido a esta iniciativa.

Mais que detectar talentos musicais, porventura é assim que se evitam que jovens alheados da realidade e sem qualquer perspectiva de futuro, andem por aí "assaltar bombas de gasolina".

post scriptum: isso não invalida que tenham aparecido em cena muitos "cromos". No entanto, reforço que não de descurar a mensagem que o programa tenta passar.

Gonçalo disse...

Caro Il messaggero;

A critica que fiz foi ao formato escolhido para o programa e não à validade da iniciativa. Foi à forma e não ao conteúdo.

Há, objectivamente, uma série de experiências de inclusão do género que funcionam e são sempre bem vindas. Só acho que neste caso a RTP não foi particularmente feliz na forma como resolveu ajudar a associação promotora...