26.11.09

Debate sobre violência doméstica

No dia 29 de Novembro haverá um debate, na Quinta-Bela de São Tiago, sobre a violência doméstica na Madeira.
Aconselho, se me é permitido, vivamente a participação. Não pela presença da deputada bloquista Helena Pinto, que pouco diz de interessante, mas porque a sua interlocutora é a minha amiga Elisa Seixas, essa sim, que diz umas coisas acertadas. Demasiadas vezes estamos em desacordo, mas não me parece que isso aconteça quando em causa está a violência doméstica.
Só uma sugestão: não esqueças, minha querida, que violência doméstica não se limita à questão de género...
Apenas lamento não poder estar presente, porque estou certo de que será esclarecedor.


Post-scriptum: é impressão minha, ou estás cada vez mais próxima do BE?

10 comentários:

Woman Once a Bird disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

É impressão tua. Tanto participo num debate promovido pelo BE como comento num blog de direita. Hélas!
Obrigada pelos elogios, mas na verdade eu queria que a coisa passasse de fininho.
E não, não me esqueço que a violência doméstica não é apenas uma questão de género, muito embora em também o seja. ;)
Elisa Seixas

Roberto Almada disse...

Boa Tarde, caro Sancho. Obrigado por publicitar o debate. Se me permite, um pequeno comentário, gostaria de o informar que nos debates organizados pelo Bloco de Esquerda têm participado muitas pessoas de diversas áreas políticas e outras sem qualquer filiação. Penso que se os partidos não se abrirem à participação dos cidadãos, independentemente da sua orientação política, não terão qualquer utilidade. Aqui, como deve calcular, não há qualquer tentativa de "arregimentar" ninguém. Os oradores são convidados pela excelência do seu trabalho em determinadas áreas. E aceitam ou não. E não deixam de ser independentes face a qualquer área política por causa disso. Teríamos muito gosto em ter o Sancho a participar em debates organizados por nós. Não se preocupe que não ficaria contaminado por qualquer espécie de "esquerdite aguda"! Bem haja e apareça...
Cumprimentos,
Roberto Almada.

Sancho Gomes disse...

Roberto,

não me conhece, mas aseguro-lhe que não tenho qualquer prurido em frequentar ambientes "esquerdistas" (se soubesse...). O meu PS foi uma provocação a uma amiga de longuíssima data e de muitos outros "carnavais".
Folgo em saber que o BE-Madeira está aberto à sociedade.
Agradeço o convite e informo que apenas não estarei presente porque não tenho o dom da ubiquidade (que é como quem diz, não estou na Madeira) pois, caso contrário, afianço-lhe, marcaria presença.

Votos de um bom debate!
Cumprimentos,

Sancho Gomes disse...

Os partidos são bem maiores (ou deveriam ser) que as pessoas. Mas, confesse lá, ó Roberto, a Elisa Seixas seria uma arregimentação e pêras...!
Hã?!

Anónimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=XQaJM4jMw1g

hg disse...

Penso que o problema passa muitas vez pelo o aspecto económico (mais este) e cultural. Numa sociedade pobre a nível de recursos económicos, culturais e sociais, a violência em casa, no futebol, na discoteca, nas escolas, nos empregos, etc etc... irá permanecer, independentemente dos géneros. Cabe a cada um de nós fazer as escolhas mais acertadas e fazer o melhor para a comunidade durante o nosso dia-a-dia.
Mais oportunidade para todos!
Enerva-me um pouco só se falar das mulheres, pois há crianças, idosos e animais que padecem de injustiças e de violência!

hg disse...

Penso que o problema passa muitas vez pelo o aspecto económico (mais este) e cultural. Numa sociedade pobre a nível de recursos económicos, culturais e sociais, a violência em casa, no futebol, na discoteca, nas escolas, nos empregos, etc etc... irá permanecer, independentemente dos géneros. Cabe a cada um de nós fazer as escolhas mais acertadas e fazer o melhor para a comunidade durante o nosso dia-a-dia.
Mais oportunidade para todos!
Enerva-me um pouco só se falar das mulheres, pois há crianças, idosos e animais que padecem de injustiças e de violência!

Anónimo disse...

Pois olha que o que a Helena Pinto tinha a dizer é de suma importância. Senti-me privilegiada por a ter conhecido e poder trocar ideias com ela.
Elisa Seixas

Sancho Gomes disse...

Elisa,

admito que a deputada bloquista seja bem mais do que aquilo que nos apresenta desde a Assembleia que, sinceramente, é muito pouco.