11.10.05

EU sou o Conquistador, Conquistador...


Num destes dias, algures numa ilha do Oceano Atlântico, alguém no seu jardim cantarolava.

Eu sou o conquistador, o conquistador, conquistdor,............quem é que não acha?
Que eu sou o conquistador, conquistador, que põe o
PSD em Marcha!?


Nota: explicação da letra

Se dúvidas ainda existissem, elas foram eliminadas nestas eleições autárquicas.

Depois da vitória de “Rui Marques”, na Ponta do Sol, ou a de Humberto Vasconcelos em São Vicente, o PSD-Madeira já se pode dar ao luxo de escolher, os mais mal preparados, para não chamar nomes aos candidatos.

De Certeza que não vão ter dificuldades, em eleger novas estranhas figuras.

Acho que é esta a leitura a retirar, depois da trigésima nona vitória de Alberto João Jardim. Perdão! Do Partido Social-democrata da Madeira.

É por esta e por outras, que já não me espanta, se no num futuro acto eleitoral, aparecer nas listas do PSD alguém como: - o senhor invisual que toca acordeão, (Com todo o respeito que tenho por este ícone da cidade) nas ruas do Funchal; ou aquele ilustre rapaz que participou num dos “Big Brothers”.

No PSD-M tudo já é possível. Nada já espanta. Basta que o carismático líder faça campanha. É esta a única, condição, para continuar a ser um partido ganhador.


Como a oposição, ESFORÇA-SE; ESFORÇA-SE, mas continua a dar tiros nos pés,
nem merece um único comentário.

4 comentários:

Carlos Rodrigues disse...

Essa frequente e recorrente menorização da militância social democrata é o maior erro de análise que tem sido feito por todos.
Passar atestados de inferioridade aos que votam PSD, reduzir a zero as capacidades daqueles que se apresentam a votos, constitui a falha mais óbvia de todos os que se debruçam sobre estes assuntos. É pena, ao fim de 30 anos esperar-se-ia outra clarividência....ou não.

Tino disse...

Na sexta feira passada falei com um militante da jsd que mora e vota em S. Roque, que não fazia a minima ideia de quem era o candidato para a presidência da sua freguesia.
Ele apenas sabia que ia votar PSD. Infelizmente este não é um caso unico. Muitos dos eleitores, tanto do PSD como dos outros partidos votam por amor á camisola e não por conhecerem os projectos e as pessoas. Excepção feita á pessoa do Dr. Alberto João Jardim, esse sim conhecido por todos e tido como candidato a todas as juntas de freguesia e presidências de câmaras.

Anónimo disse...

Parece-me indiscutível que em concelhos como o Funchal, Machico e mesmo Santa Cruz os eleitores distinguem os diferentes actos eleitorais e os diferentes planos em que os políticos se apresentam. Nesse sentido o Carlos Rodrigues tem razão. Mas também me parece que nos restantes concelhos os eleitores votam «no PPD e no Alberto João». Seja qual for o acto eleitoral. Isso justifica a vitória social-democrata na Ponta do Sol (com um candidato daqueles o PS tinha tido 10 votos), em Santa Cruz e noutros lados como em Santana (conhecem obra da câmara?), em São Vicente e na Calheta (onde o presidente da Câmara é motorista, criado e moço de recados dos senhores da cidade).

SM

Bruno Gonçalves disse...

Concordo com o Carlos.

Tem sido esse o principal trunfo do PSD, e o grande erro do PS.