10.9.05

Ainda Existem Estórias com Piada.

O candidato da campanha “Funchal para todos” ainda não foi eleito. Não passa, portanto, de candidato a candidato e já está em “bico de pés”. Tal como o povo gosta de lhe chamar.

Escreveu para o presidente do concelho de administração da RTP, como se fosse Almerindo Marques, a decidir se vai ou não haver debates na RTP-Madeira, e o modelo do eventual programa.


São estes pequenos, pormenores, que estragam muitas vezes, o esforço de quem quer fazer política nesta terra. Falam, falam e acabam por cometer os mesmos pecados dos que estão no governo. Como se os governantes, presidentes de câmara e por aí fora, tivessem legitimidade para interferir no serviço de informação da RTP ou de qualquer outro meio de comunicação social.

É óbvio que podem e devem discordar de algumas notícias, ou da forma como foram feitas. Agora querer mandar é ilegítimo.

Se ainda existem oásis na terra, o jornalismo é um deles, apesar dos ataques de que tem sido alvo, no mundo, e de uma forma particular, na Madeira e em Portugal.

A queixa do candidato Carlos Pereira deveria ser para a Alta Autoridade para a Comunicação Social. Só este órgão, regulador, é que pode fazer recomendações à RTP. Coitado do Almerindo Marques. Interferir num assunto da direcção de informação da RTP-Madeira. Muito antes dele tem, a direcção de informação da RTP (Lisboa), como já disse, o Conselho de redacção, a direcção da RTP-Madeira e o chefe do Departamento de Informação do canal público regional

As voltas que o assunto terá que dar, para chegar ao homem a quem foi dirigida a carta.
Tal como diz uma firuga pública: - "vejam só, a que isto já chegou!"

25 comentários:

Anónimo disse...

Este Angel é ou faz-se anginho (Será pau mandao ou quer agradar a alguém?). O debate plural é uma obrigação do serviço público de televisão num país democrático. Não deveria depender da vontade de qualquer sopeiro da Quinta Vigia. Essa de prometer debates só com todos é boa, sobretudo quando há muito o dr. Jardim recusa debates com a oposição.

Anedota disse...

Estão todos mal habituados. A Televisão da Madeira devia charmar-se Televisão Independente e até tem todas as condições para aí chegar: tem independência, em relação ao continente, tem pessoal com ideias e que é capaz de questionar e de ir ao encontro dos problemas da população e até com os quadros que tem pode ir mais além. Também pelo que sei até há pessoal que foi seleccionado pelos recursos humanos da RTP Lisboa, por concurso, e que até pode garantir a imparcialidade apregoada, não sei se desejada!? Os debates têm de acontecer, mesmo que em frente haja uma cadeira vazia. Era esta a postura que a RTP-M devia adoptar, perante este ou outros eventuais programas. Porque razão os debates, fora do período eleitoral, têm de ter gente de todos os partidos? Não podemos agradar a Gregos e a Troinanos!!!! É preciso ganhar personalidade própria!

Anónimo disse...

Boa, anedota. Dá-lhe diz as verdades...

Anónimo disse...

«É capaz de "pessoal com ideias", mas só a vemos "questionar" com as perguntas feitas pelo Calisto. Ir "ao encontro das populações?!", ou se for para mais uma (re)inauguração do titio. "Imparcialidade"?!, não nos façam rir com mais esta ANEDOTA. "Cadeira vazia"?!, nunca o fizeram, se isso acontecer não passa de puro oportunismo: como o director está de saída, à a luta pela sobrevivència dos chefes-sopeiros

Anedota disse...

Não sei quem faz as perguntas, mas se é o sr. Calisto é muito grave. Falo apenas do que conheço e em geral. Não me referia à redacção como o post que antecede este evidencia. As mudanças têm de ser na redação mas sobretudo na programação e na produção própria de programas porque defacto não há nada de interessante. Se há "sopeiros ou sopeiras" essa é uma linguagem política que só cabe na boca dos políticos. Como espectador e como ouvinte até não gostava de ver o sr. Leonel Freitas na liderança do projecto de fusão. Tem provas dadas, tanto na rádio como na tv. E já mostrou também que é capaz de pensar pela sua própria cabeça. Mais uma vez saliento que não estou ligado ao meio, falo apenas de acordo com aquilo que vejo e que debato de vez em quando com os amigos, alguns deles jornalistas. Jornalistas que até agora nunca indiciaram terem perguntas feitas pelo punho do sr. Calisto, mas acredito que tudo seja possível. A ver vamos...

Anedota disse...

Errata ao post anterior: onde se lê "até não gostava de ver o sr. Leonel Freitas na liderança do projecto de fusão" deve ler-se "até gostava"... tanks

VN disse...

A temática e a polémica é interessante, mas prefiro deixar aos autores, aos "anónimos e afins" e aos leitores do blog os votos de uma boa semana. Eu cá estou de férias e prefiro receber as surpresas todas no regresso. Não me tirem esse prazer, please!!! Até sempre conspiradores. VN

Anónimo disse...

O Calisto não passava apenas as prrguntas para lerem, também escrevia textos para reportagens que mandava outros fazer e manipulava notícias.VN, Angel, Nélio & Patricia, não é verdade ? Desmintam, please.

Anónimo disse...

Gonçalo, quem cala consente...

Anónimo disse...

OH Carlos Rodrigues, quem colocou o Calisto no DN foi quem o propôs para o Diário?

Carlos Rodrigues disse...

O que é que eu tenho a ver com o Calisto ?

VN disse...

A semente nunca pergunta ao vento para onde ele a leva. Agora prefiro ser semente! Have a nice day!

Angel disse...

É ,interessante, ler certos comentários. Nem vou comentar o aspecto de serem anónimos. É uma questão menor.

Depois de os ler, só posso dizer uma coisa. Algum super-dotado, omnipresente e omnipotente, sabe coisas, que eu próprio desconheço. Essa pessoa está a tentar, pegar lume, mas digo desde já, que não vai conseguir.

Acredita nas mentiras quem quer.

Com tantos aldrabões que existem, mais um, menos um, é indiferente. São todos iguais. Sobretudo em campanha eleitoral.

VN disse...

A vida das empresas onde se trabalha é como a vida familiar, é só para falar ou debater internamente. Quando algum pormenos vem para a praça pública, há sempre quem queira saber mais e isso já devias ter conhecimento. Portanto não reveles a tua intimidade!!! :)

Anónimo disse...

Tenho falado com os ninos e ninas da RTP nas últimas semanas e noto que estão radiantes com a saída do sr. Luís Calisto. Pois é, agora cabe ao pessoal do DN-M chupar esta amarga e horrível pastilha cor-de-laranja. Azar...

Sancho disse...

Sinceramente não percebo esta aversão ao Calisto.
Tenho certeza que muitos dos anónimos comentadores são jornalistas (apesar de jurarem a pés juntos que não!) por isso não entendo o ódio que destilam em relação ao colega de profissão. Ainda para mais, porque não tenho a mínima dúvida de que o Luís Calisto É o melhor jornalista madeirense. É um apaniguado do AJJ? Sinceramente não faço a mais pequena ideia. Mas se formos ver, todos os jornalistas que têm alguma projecção na Madeira são apaniguadas de alguém. Os nomes e os padrinhos, todos nós sabemos. Os jogos que fazem, também são conhecidos. E desiludam-se as “primas-donas” que se escandalizam com esta afirmação: é assim que hoje se faz o jornalismo. É promíscuo? Com certeza, mas não julguem haver paladinos da deontologia. E o que se passa na RAM acontece em Lisboa, em Washinton, em Paris e até nos Jardins da Madre Teresa de Calcutá (lembram-se?).
Existem alguns que ainda escapam a esta malha? Com certeza, mas fazem o outro jogo. Veja-se o exemplo do Tolentino que se substitui à oposição e consegue ganhar a fama de bom jornalista (eu lembro-me de toda a palhaçada que foi aquele programa do Clube dos Patetas, digo Jornalistas. E lembro-me, também, que grande parte das notícias que vêm dos correspondentes na Madeira são, normalmente, assuntos já trabalhados pelos “jornalistas menores”).
A isenção total é um mito. Todos estamos comprometidos (desde pequeninos) e ainda bem que assim é!
Ainda em relação ao Calisto, desde que soube que ia para o DN –M que me congratulei com o facto. Porque a minha geração cresceu a admirar o jornalista. Aliás, ele é tão bom que criou a escola do DN-M. Por mais que não fosse, é preciso dar-lhe mérito por isso. E ainda sou novo, é verdade, mas sinceramente nunca vi o Calisto dar tanta graxa ao AJJ como vemos outros fazerem com outros políticos. De forma demasiado evidente.
Por isso, não entendo todo esta blogopolémica. Ou percebo e estão todos a fazer o seu jogo pessoal.
E não querendo ocupar mais espaço, remato com uma pequena reflexão:

Sancho disse...

Nesta parafernália de blogs, bloggers e comentadores, parece que todos se juntaram para deitar abaixo a meia-dúzia de contribuintes que ainda assumem o que escrevem. E parece que acham que não há qualquer problema,parece que é tudo muito natural e normal. Estranho, porque estou convencido que grande parte dos comentadores anda nisto há já muito tempo.

Anónimo disse...

Ó menino Sancho. Você é ainda uma criança. Conhece lá o Calisto! Fale com quem já está nesta profissão há mais de 10 anos, leia o livro "Achas na Autonomia" (descubra os branqueamentos que o autor propositadamente faz). Depois tire as suas próprias conclusões.
Ah, se o seu conceito de bom jornalista é aquele que está mais colado ao poder (seja ele qual for), está dispensado de fazer os trabalhos de cada atrás sugeridos.

Anónimo disse...

Ó menino Sancho. Você é ainda uma criança. Conhece lá o Calisto! Fale com quem já está nesta profissão há mais de 10 anos, leia o livro "Achas na Autonomia" (descubra os branqueamentos que o autor propositadamente faz). Depois tire as suas próprias conclusões.
Ah, se o seu conceito de bom jornalista é aquele que está mais colado ao poder (seja ele qual for), está dispensado de fazer os trabalhos de casa atrás sugeridos.

Anónimo disse...

Sancho, cresce e aparece. Fala com quem trabalhou com o Calisto na RDP, no DN e no Tribuna. Pergunta ao Juan como vão os compadres? Nem precisas de ouvir ninguém da RTP e tiras logo as conclusões.

Anónimo disse...

Luís Calisto, breve apresentação: ex-futebolista, ex-operacional do movimento bombista FLAMA, egocêntrico com tendências ditatoriais, homem de tasca, personagem sinistra e não assumida (ninguém consegue perceber o que vai naquela cabeça e qual a sua opinião verdadeira sobre a política), é o jornalista em quem o presidente do Governo Regional mais confia, por isso entregou-lhe a RTP e o DN de bandeja. E ex-amante de lolitas, hoje apenas consegue conquistar Lolas.

Sancho disse...

E o ódio continua a ser destilado...
E continuo sem perceber! Mas o problema deve ser meu, porque ainda tenho muito que crescer...

Anónimo disse...

Basta dizer que não há nenhuma jornalista (mulher) inteligente que se tenha dado bem com esse senhor.

Angel disse...

Isto está interessante. Não esperava tanto comentário, mas é sinal que a malta está atenta. Contribuam. Um Abraço Sancho.

Sancho disse...

Outro para ti Angelino!