7.11.09

Adriano Moreira

Tenho um particular gosto em ter ouvido, esta tarde, Adriano Moreira, um dos portugueses que faz de Portugal um país maior, como bem o define Eduardo Lourenço.

Numa exposição extraordinária, Moreira defendeu um regresso aos valores em detrimento da espécie de vazio técnico e tecnológico em que nos encontramos desde o final da II Guerra Mundial.

Os resumos de todas as comunicações integradas na Conferência Internacional do Funchal, organizadas pela CMF, estão aqui.

2 comentários:

Carlos J. Pereira disse...

O que faltou mesmo nessa conferência foi a discussão sobre a cidade. Apenas um pormenor irrelevante!
Carlos J. Pereira

Gonçalo disse...

A Conferência Internacional do Funchal não se destinava, não tinha nem terá por objectivo discutir a cidade (ou uma qualquer cidade em concreto) ou a Região (ou outra qualquer Região em concreto). Destinava-se, e no futuro continuará a ser assim, a debater, no Funchal, grandes temas globais. Se pudesse ter estado lá, iria constatar a riqueza do debate e das opiniões veiculadas. O facto de vivermos numa ilha não nos deverá condicionar a debater, apenas, os nossos problemas. No actual "mundo plano" somos, para além de funchalenses e madeirenses, cidadãos de um país, de um continente e do mundo. Porque não sair da rotina habitual e debater os grandes temas que marcam a actualidade mundial? Não entendo por isso a sua observação. Para debater o Funchal e a Região existem já outros fóruns. Recentemente passámos por uma campanha eleitoral. Um momento de debate, ou não? O jornalismo que se faz na Madeira privilegia, como é expectável, a exposição e o debate sobre os temas locais (pode criticar-se a forma como o faz, mas isso é outra "luta"). Os partidos políticos dispõem de espaço para levantar problemas ou apresentar soluções locais. A Conferência Internacional do Funchal é, por isso, um espaço de debate diferente, que vai para além da obsessão, muito própria dos ilhéus, de resto, de considerar o nosso "pequeno mundo" como sendo o centro do universo. Para debater o local existem, repito, outros fóruns.

Cumprimentos

Gonçalo Santos